Siga-nos

A Revanche do Rádio e a Realidade Aumentada.

23 dez A Revanche do Rádio e a Realidade Aumentada.

Joseph Goebbels considerava o rádio o oitavo grande poder, “As the Eight Great Power” pois declarava que, para dominação da sociedade o estado deveria controlar as novas tecnologias. Naquela época do começo do século XX, rádio e televisão eram considerados alta tecnologia. Instrumentos de comunicação (dominação) em massa que não poderia ser ignorado pelos ocupantes do poder. Gobbels chamava de 8ª poder porque Napoleão chamava a imprensa de 7º poder.

O rádio que aparentemente perdeu sua força para o vídeo, tem sua participação moderna desapercebida. Mencionamos aqui um hit antigo que dizia que o Vídeo havia matado a estrela do rádio…Video killed the radio star…it is in my mind and in my car…

Assista clipe ao final do texto.

Ledo engano, o rádio disfarçado de celular e wi-fi, dominam o mundo como nunca. Os celulares são miniaturas de estação de rádio e estão em franca expansão mundial. As previsões de abrangência do mercado mobile são incríveis. A quantidade de dados que trafega via rádio ou smartphone atualmente jamais foi sonhada por seus inventores, Tesla ou Marconi, mesmo porque, estes não imaginavam que transportaríamos pacotes digitais via rádio que se converteriam em imagens textos e vídeos em seus destinos.

Poucos perceberam, mas uma nova revolução chega desapercebida e estará entre nós como o smartphone está em poucos anos. Falamos aqui da realidade aumentada.

A combinação de computação na nuvem com realidade aumentada e robotização dos meios de produção fará a renascença da informação.

Empolga falar sobre a realidade aumentada, pois é um caminho sem volta; poderemos operar equipamentos sofisticados com uma riqueza incrível de informações sobrepostas dentro de um óculos semelhante aos óculos 3D de hoje em dia.

Os gigantes da internet já estão lutando com unhas e dentes por este mercado recém nascido. A concepção de realidade aumentada já possui uns quarenta anos mas somente agora possuímos tecnologia para aproveita-la.

Como todo novo mercado, as opções são bem caras, relembremos das impressoras 3D que vem sendo barateadas dia a dia. Um exemplo simples de realidade aumentada ou RA é o jogo Pokémon Go.

Texto: Luiz Barros.

Coletamos uma lista de possibilidades abaixo para o leitor que quiser entender melhor este novo conceito.

• Expansão de telas de computador para um ambiente real: janelas de programas e ícones se tornam dispositivos virtuais num espaço real e podem ser operados por gestos ou pelo olho. Um mostrador pessoal (como óculos), poderia simular diversos monitores convencionais de computador ou janelas de aplicação ao redor do usuário concomitantemente.
• Dispositivos virtuais de todos os tipos: substituição das telas e monitores tradicionais, painéis de controle, e aplicações completamente novas (algo impossível em um hardware “real”), como objetos 3D que alteram suas formas e aparências de forma interativa baseados na tarefa ou necessidade atual do usuário.
• Aplicações de media aprimoradas, como telas virtuais pseudo-holográficas, cinema surround virtual, “holodecks” (como em Star Trek), permitindo imagens criadas por computadores interagir com sujeitos reais e plateias.
• Conferências virtuais.
• Substituição de telas de navegação em carros e aparelhos celulares: discagem através do movimento dos olhos, inserção de informação diretamente no ambiente, como linhas guia diretamente na pista bem como aprimoramentos como vistas em Raio-X.

Fonte dos exemplos: https://pt.wikipedia.org/wiki/Realidade_aumentada

 

Sem comentários

Adicione um comentário