Siga-nos

Reflexões sobre Coaching

29 nov Reflexões sobre Coaching

Coaching vem do inglês “coach”, que quer dizer em português treinador ou técnico de um time ou atleta., termo atualmente bem conhecido e utilizado nos esportes nos EUA à partir dos anos 70, que era utilizado anteriormente, com o significado de tutor em 1830, na Universidade de Oxford.
Porém, o que acredito que ainda pouca gente sabe, é que o termo Coach, também é aquele indivíduo, na área do desenvolvimento humano, que aplica um processo chamado de coaching, e por ser uma metodologia com validação científica, é aceita em algumas das melhores escolas de negócios no mundo, portanto muito utilizada dentro das organizações.

O processo de coaching:

Acontece através de PERGUNTAS que instigam o coachee ou cliente (nome dado a pessoa que vai se submeter ao coaching) a investigação, reflexão e conscientização de pontos fracos e fortes, promovendo um aumento da consciência de si e da situação, onde através de um feedback realista, levará a se responsabilizar novamente pela situação em que se encontra.
O foco das perguntas estará sempre voltado para as possibilidades futuras, e através delas, auxiliar o cliente a encontrar o que realmente se quer como objetivo, e como transformar tal objetivo em realidade.
Elabora-se um plano de ação num processo com início, meio e fim bem determinados, em que são estabelecidas metas claras e ações para se alcançar o objetivo desejado.
Falando assim, parece tudo muito fácil e lógico, porém engana-se aquele que pensa que todo esse processo quase se assemelha a um gerenciamento de projetos, está muito longe disso, pois a VIDA costuma ser bem mais complicada!

imagem-coaching-3

A habilidade de um bom Coach é uma mistura de técnica e de arte:

A parte técnica está principalmente focada no aprendizado de conceitos sobre a relação entre coach e coachee, que permite promover uma estrutura bem elaborada da condução das sessões.
A parte arte está em saber ouvir mais do que falar, saber escutar cessando o diálogo interno, pois as boas perguntas não deverão estar prontas, e sim devem nascer através do diálogo e durante a sessão.
Perguntas prontas carregam pressupostos de respostas já conhecidas, e um Coach mais experiente sabe que uma boa pergunta deve provocar um desconforto no cliente de NÃO SABER a resposta, mas ao mesmo tempo, conseguir motivá-lo a querer descobri-la.
Como se o coachee intuitivamente soubesse, que a resposta revelará em si mesma, um tesouro até então escondido de sua consciência, mas ao revelá-la, fatalmente o conduzirá a uma ação imediata.
Cabe uma ressalva:
A metodologia unicamente de COACHING, NÃO É INDICADA para clientes que estejam em alto nível de estresse!
Existem abordagens mais apropriada para esses casos, como por exemplo, a que eu aplico que é Coaching com PNL (Programação Neurolinguística), porém em casos muito graves, em que estejam associados fortes conflitos emocionais, há a necessidades de buscar outras especialidades como: psicoterapia e/ou psiquiatria.

Autor: Northon Dengler
http://linkedin.com/in/northondengler

Sem comentários

Adicione um comentário